top of page

Soneto a um casado com gêmeas

Atualizado: 9 de mar. de 2023


John William Waterhouse, "Hilas e as Ninfas", 1896.

Soneto a um casado com gêmeas


Pitoresca ambição e grande tenho

Que jamais outra igual se viu no mundo,

E embora me exigisse ser facundo,

Não me faltou saber, arte ou engenho.


E era tal ambição de tal desenho

Que um amor só não pude ter profundo,

Senão um de dois corações oriundo

Porque de gêmeas com as quais me avenho.


Na lua-de-mel foi doce a peleja,

Mas logo falta o que muito sobeja

E menos se tem quanto mais se quer.


Porque é miséria dupla ser casado

E, embora duas tendo desposado,

Comer todo dia a mesma mulher.



_______


Para mais literatura, veja Parnaso Devasso, meu livro de poesias.


Sinopse: Parnaso Devasso é um livro dual: o autor, ao mesmo tempo que guarda profundo ódio às manifestações da Semana de Arte Moderna de 1922, o que revela sobretudo no poema "Estupradores da Estética", também se reserva o direito de perverter formas fixas e fazer largo uso de imagens pútridas e escatológicas, relembrando a estética de Augusto dos Anjos. Por um lado, Cândido resgata a acepção clássica do Belo, a que se filia com máxima devoção; por outro, exulta a fealdade como fonte igualmente ilimitada de beleza. Os mais diversos temas são tratados no livro: do sexo à morte, de Deus ao Diabo, do mendigo fuçando o saco de lixo em busca de algum pão frio para comer ao belo canto de um pai à sua filha amada enquanto a toma no colo. Tudo isso permeado de irreverência, humor e polemismo, que ele arremata com o brutal "Pornocracia", seu poema satírico em homenagem à mulher moderna. Clique no link e saboreie.

27 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


Inscreva-se para receber novas postagens

Obrigado!

bottom of page